Fatec apresenta impacto nas empresas e ações necessárias para adequação à lei de proteção de dados

11/12/2019 - 00h00

Em agosto de 2020, empresas e órgãos públicos só poderão solicitar informações pessoais - como nome, endereço, e-mail, idade, estado civil e situação patrimonial com consentimento do usuário. Além disso, deverão informar como esses dados serão usados sob pena de severas punições.

As mudanças no tratamento dos dados pessoais são exigências da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), promulgada em 2018 e que entrará em vigor no próximo ano. Apesar do prazo para adequação, poucas empresas estão preparadas para as alterações propostas.

A fim de esclarecer o tema, a Faculdade de Tecnologia Senai Mato Grosso (Fatec Senai MT) promoveu na terça-feira (10/12) uma palestra sobre o assunto. O evento reuniu diversos participantes entre estudantes, empresários e profissionais que serão impactados com as novas regras.

“Essas mudanças vêm para mudar a cultura da privacidade, é preciso ter outro olhar sobre os dados pessoais. Fomentar a economia digital é uma visão positiva e a lei não veio para proibir o tratamento de dados, mas sim para regular essa prática e dar segurança ao desenvolvimento do nosso negócio”, pontua a palestrante Keila Cunha, que é advogada da área de Controle e Conformidades do Sesi e Senai MT e possui diversas especializações no assunto.

De acordo com pesquisa da Gartner, líder mundial em aconselhamento empresarial, menos de 30% de todas as organizações, sujeitas à LGPD, conseguirão cumprir totalmente os requisitos da regulamentação até agosto de 2020.

A auditora de consórcios Kaira Figueiredo disse que a empresa em que trabalha tem encontrado dificuldades para se adequar à lei.  “Estamos em busca de informação para implementar o que está sendo exigido. Porém, tem muita teoria e pouca informação prática para proceder corretamente”, destaca.

Trabalhando na área de informática há vários anos, o consultor José Mendes também participou da palestra em busca de informações para auxiliar seus clientes. “Essa lei afeta a todos nós e se trata de uma mudança complexa porque exige a criação de procedimentos, leis internas e mudanças de normas e processos nas empresas. A área de informática está ligada a tudo isso e precisamos nos adequar para dar direito às pessoas de terem controle dos seus dados pessoais”, afirma.

Demanda em tecnologia

De acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), profissões ligadas à tecnologia estão entre as que mais vão crescer nos próximos anos.

A adequação à LGPD vai contribuir com a revisão da política e processos internos, a aquisição ou atualização de tecnologias, contratações de funcionários, entre outras ações.

Para auxiliar na formação de novos profissionais que atendam essas demandas, a Fatec Senai MT oferece cursos de graduação e pós-graduação em diversas áreas relacionadas. Entre elas data science, logística, cybersecurity e governança em tecnologias da informação e gestão de pessoas. Clique aqui e saiba mais. Acesse as fotos da palestra.
 

Acompanhe o Sistema Fiemt nas redes sociais:

Sistema FIEMT / SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 4.193 - Centro Político Administrativo - Cuiabá - MT / CEP 78049-940